A história do clássico Coquetel de Champanhe

  • A história do clássico Coquetel de Champanhe image 1
  • A história do clássico Coquetel de Champanhe image 2

Escrito por:

Um dos mais antigos coquetéis, datado de meados do século XIX, o Coquetel de Champanhe consiste em um cubo de açúcar embebido em bitter aromático e mergulhado em um copo com uma medida pequena de conhaque e completado com champanhe. Até hoje, é um dos mais populares coquetéis de champanhe.

Como fazer

Nos anos 40, David Embury, um advogados dos EUA e bartender amador, escreveu a mais sucinta instrução de como fazer um Clássico Coquetel de Champanhe. an American attorney and amateur bartender, wrote the most succinct instruction on how to make a Classic Champagne Cocktail em seu livro The Fine Art of Mixing Drinks:

"Este drink deve ser servido em uma taça de champanhe previamente gelada. Coloque um cubo médio de açúcar na taça e encharque-o com Angostura bitters (2 dashes). Completar com champanhe gelada. Adicione um twist de limão siciliano ou casca de laranja (ambos, se preferir)".

Embury também adicionou sua opinião sobre o drink:

"De todos os pontos de vista, além do custo, esse coquetel é um drink decididamente inferior e nenhum verdadeiro amante do champanhe cometeria o sacrilégio de poluir um verdadeiro champanhe vintage, mergulhando açúcar puro - muito menos amargo - nele.

Então, se você precisa (...) servir esta confusão incongruente apenas para fazer média, então, em nome de tudo considerado sagrado por um verdadeiro amante da uva: use um champanhe doméstico barato ou mesmo um vinho branco carbonatado artificialmente".

Apesar dos protestos de Embury o drink que é uam "confusão incongruente" permanece, 70 anos mais tarde, um dos mais populares coquetéis de champanhe, além de um dos mais duradouros de todos os coquetéis clássicos. Por isso, não pode ser tão ruim! Como a maioria dos coquetéis, mesmo o mais simples, o segredo está na qualidade dos ingredientes utilizados e como você os utiliza. Siga estas 8 regras para preparar um Clássico Coquetel de Champanhe:

1. Use sempre um copo bem gelado e limpo, diretamente do freezer. Uma taça flute pode dar uma melhor experiência, mas a coupe é muito mais charmosa.

2. Como diz David Wondrich: "Use sempre açúcar em torrão e nunca tente macerá-lo. O objetivo não é tanto adoçar, mas sim criar bolhas de ar enquanto o cubo dissolve lentamente". Eu prefiro usar açúcar mascavo.

3. Coloque um guardanapo de papel tampando a boca do coco e o torrão por cima. Despeje o bitter para embeber o açúcar. O guardanapo irá absorver o excesso e irá ajudar na hora de jogar o torrão pra dentro do copo, com um sutil peteleco.

4. Use um conhaque de qualidade (mínimo um V.S.O.P.) e o coloque na geladeira ou freezer para gelar antes de usar. Conhaque à temperatura ambiente é uma bomba de calor, que irá arruinar seu drink. Uma ideia é decantar um pouco para uma pequena garrafa, especialmente para essas ocasiões. Despeje uma medida de conhaque sobre o cubo dentro do copo. Este drink é feito para ser luxuoso, por isso compre o melhor conhaque que você pode pagar. E lembre-se: você poderá usá-lo em 23 coquetéis como esse.

5. "Há quem prefira gelo no copo, mas, obviamente, isso irá manter a temperatura baixa às custas de diluição", pondera Wondrich. Gelo não é necessário se os ingredientes e copo estiverem gelados.

6. O sabor seco e cítrico do champanhe Brut faz parte do coquetel. Não é necessário usar uma garrafa vintage, mas Prosecco irá estragar o drink. Entorne o copo lentamente em um ângulo agudo e despeje o champanhe pela bordam antes de endireitar no final. O açúcar irá gerar bolhas continuamente, por isso para uma boa experiência, é importante o champanhe reter o máximo de CO2 possível no copo.

7. Novamente David Embury: "Borrifcar óleos da casca de limão, laranja ou os dois". Descartar o twist após extrair os óleos.

8. Beba com amigos. Este não é um drink para desfrutar sozinho. Dependendo do tamanho de seu copo, uma garrafa deve dar para 6 a 8 drinks, talvez dez se você for meio regulado.

História

As origens do Coquetel de Champanhe perderam-se com o tempo. David Wondrich diz que ele "surgiu na Idade do Ferro da mixologia dos EUA, no final do período pré-histórico entre a invenção do primeiro coquetel, seja lá quando isso foi, e 1862, quando o primeiro livro de coquetelaria foi publicado."

A primeira menção escrita sobre o Coquetel de Champanhe a ser publicado foi em "Panama in 1855. An Account of the Panama Rail-road, of the cities of Panama and Aspinwall with sketches of life and characters on the Isthmus by Robert Tomes", publicado em 1855, em New York por Harper & Brothers.

Na página 61, Tomes escreve: "Eu professo a crença de que beber "Champagne cock-tails"(sic) antes do café da manhã e fumar quarenta charutos diariamente, é um gozo imoderado das coisas boas deste mundo". Na página seguinte, ele continua a descrever com alguns detalhes como um Coquetel de Champanhe é feito:

"O que devo beber? ", perguntei a um amigo ao meu lado. "Um champagne cock-tail, a coisa mais deliciosa do mundo. Vou fazer um para você", foi sua resposta e ele entrou em ação. Foi trazida então uma garrafa do excelente Mumm, um prato cheio de gelo cristalino, uma garrafa de Bitters fresco de Rockland, que havia chegado pelo último vapor, que tinha uma aparência médica. Meu amigo, cujos olhos benevolentes expressavam piedade pelos meus sofrimentos, enquanto seus lábios proferiam palavras eloqüentes de alívio para mim e, inconscientemente, resultado de longa experiência, de seu próprio prazer antecipado, bateu o gelo cristalino, com uma série de ações rápidas e sucessivas. Jogou-o nos copos tumbler como uma chuva de granizo, caindo no bitters, que difundia um brilho como o do nascer do sol. Arremessado o açúcar, nublou-se a bela perspectiva e deu o que os artistas chamam de tinta morta para a mistura. Então estalamos o Mumm e o coquetel de champanhe estava pronto e perfeito, rugindo, espumando e fluindo dentro das gargantas sedentas minha e de meu amigo.

O texto acima é interessante porque prova que o Coquetel de Champanhe já existia antes de 1855, que o drink era então servido em um copo tumbler com gelo moído e feito com aromatic bitters, xarope simples e champagne. Não há nenhuma menção a brandy, conhaque ou similares.

As receitas de Jerry Thomas de 1862 e 1887

No primeiro livro de coquetelaria do mundo, How to Mix Drinks, or The Bon Vivant's Companion, publicado em 1862, Jerry Thomas também não brandy, que é comum nas receitas atuais. Ele também servia em um copo com gelo moído (ou picado). Eu não considero literalmente a instrução "bater bem" e entendo que ele queira dizer mexer.

ency 54 image

Coquetel de Champanhe, Jerry Thomas, 1862

Quanto Thomas escreveu a edição de 1887 do seu livro, o Coquetel de Champanhe já havia evoluído. Ele pede por um goblet em vez de tumbler, além de falar em "um pedaço pequeno de gelo" em vez de gelo moído. Ele também introduziu o uso de açúcar, tornando o drink mais próximo da versão atual.

ency 42 imageency 94 image

Coquetel de Champanhe, Jerry Thomas, 1887 (2 páginas)

ency 50 image

Outras receitas vintage

As conhecidas receitas abaixo também não mencionam brandy.

The World's Drinks and How to Mix Them por William Boothby (1908)
"A LA 'BOB' LARIUS, CAPE NOME, ALASKA.
Saturar um cubo de açúcar com 5 ou 6 gostas de Angostura bitters, colocar o açúcar em um copo de champanhe, completar com champanhe gelado e servir. Nunca mexer ou decorar esta bebida"

The Ideal Bartender por Tom Bullock (1917)
"1 pedaço de açúcar em copo alto, fino.
1 pequeno pedaço de gelo
2 traços Angostura Bitters.
1 peça de casca de limão torcida.
Encha com champanhe.
Mexa e sirva."

The Savoy Cocktail Book por Harry Craddock (1930)
"Coloque em um copo de vinho um pedaço de Açúcar. Saturá-lo com Angostura Bitters. Tendo adicionado a este 1 pedaço de gelo, encha o copo com champanhe, esprema em cima um pedaço de casca de limão siciliano e sirva com uma fatia de laranja."

The Old Waldorf-Astoria Bar Book por Albert Stevens Crockett (1935)
"Um pedaço de Açúcar
Dois traços de Angostura Bitters
Um pedaço de casca de limão siciliano torcida
Completar o copo com champanhe"

Cafe Royal Cocktail Book por W. J. Tarling (1937)
"Coloque em um copo de vinho 1 pedaço de açúcar; saturá-lo com Angostura Bitters. Tendo adicionado a este 1 pedaço de gelo e ½ fatia de laranja, encha o copo com champanhe, esprema em cima um pedaço de casca de limão siciliano. Uma pitada de conhaque, conforme necessário."

Variações

Business Brace
Um bartender chamado John Dougherty ganhou uma competição de coquetéis em Nova York, no ano de 1899, com uma bebida chamada Business Brace, que é muito semelhante a um Coquetel de Champanhe. A única diferença é a adição de um respingo de água de sifão com o champanhe. Sua vitória foi registrada em um artigo no Kansas City Star e é considerado como o grande empurrão ara a popularizacão do Coquetel de Champanhe.

Casino
Se você substituir bitters por absinto e colocar apenas uma colher de bar de conhaque por cima, o Coquetel de Champagne vira um Casino.

Prince of Wales
Um Prince of Wales é feito como um Coquetel de Champanhe, mas com partes iguais de conhaque e licor Grand Marnier.

Chicago
O Chicago é igual ao Prince of Wales, mas com partes iguais de conhaque e licor triple sec.

×
  • Bem-vindo (a)
  • Receba atualizações com muita informaçãosobre bebidas, bares ecoquetéis
  • Por favor, confirme que você tem mais de 18 anos e insira seu email
  • Não obrigado, continue para o diffordsguide.com
CSS revision 42f8d9b