Harry Craddock

Escrito por: Theodora Sutcliffe

O bartender mais famoso do Savoy e o nome por trás do Savoy Cocktail Book, Harry Craddock, também conhecido como "the dean of cocktail shakers", foi o terceiro head bartender ho hotel, o primeiro head barman do Dorchester, co-fundador do United Kingdom Bartenders' Guild e possivelmente o mais celbrado bartender da época da Lei Seca.

Nascido em 29 de agosto de 1875 em Stroud, Inglaterra, ele atravessaria o Atlântico para trabalhar em bares como a Casa Hoffman e o Hotel Knickerbocker. Voltou para casa, por causa da Lei Seca, com sotaque norte-americano de apelo comercial, reputação e passaporte.

E o livro em que ele colocou seu nome, uma síntese de coquetéis dos EUA e aqueles que começavam a emergir na nova Europa, com seções escritas por outros colaboradores, ainda é uma referência vital hoje.

Gary Regan coloca isso de forma bastante mais definitiva. "O livro de Craddock é provavelmente o livro de coquetéis mais importante do século 20", diz ele. "Simplesmente porque preservou muitas receitas antigas, que poderiam ter sido perdidas para a história, se ele não as definisse ali."

ency 47 image

O homem em si, embora, apesar de gostar de uma publicidade, permanece um enigma. Craddock afirma ter misturado o último coquetel legal antes da Lei Seca e saltou de navio para a Europa no dia seguinte. Ele certamente estava em Londres em 1920, instalado nos bastidores do Savoy, precisamente no American Bar batendo coquetéis.

Quando Ada "Coley" Coleman aposentou sua coqueteleira, ele galgou a posição de head bartender, tendo sido noticiado com interesse pela imprensa dos EUA (um jornalista de Nova York observou que pensava que Harry estava morto). Ele iria preparar drinks para a realeza, políticos e estrelas, incluindo Ava Gardner, Errol Flynn, Charlie Chaplin e Vivien Leigh.

Quando virou o bartender principal, Craddock promoveu seu papel intensamente. Ele anunciou o retorno de suas férias anuais com informações na coluna pessoal do The Times . Quando uma comissão do governo comentou com desagrado sobre o crescimento do apreço pela coquetelaria, ele publicou um anúncio oferecendo um prêmio de 50 libras para qualquer membro do comitê que experimentasse um de seus drinks e achasse que isto não melhorara seu almoço ou jantar.

Antes de retornar a Nova York (ainda durante a Lei Seca), ele telegrafou para luminares, incluindo o prefeito, solicitando que um comitê fosse formado para mostrar-lhe os melhores pontos de beber da cidade. A história repercutiu na imprensa e seu livro novo recebeu imensa cobertura da mídia.

O próprio livro é, em grande parte, um trabalho de síntese. Mas Craddock era um criador prolífico de coquetéis. Uma vez inventou três bebidas novas para um jornalista em um único dia e reivindicou ter criado 240 cocktails em sua vida.

O seu signature drink? Possivelmente o White Lady, que ele considerava como seu. Em 1927, ele "emparedou" no American Bar uma coqueteleira com um White Lady preparado. Nunca foi encontrada.

Em 1933, com a revogação da Lei Seca no horizonte, Harry foi convidado a retornar aos EUA. Ele recusou, afirmando que estava feliz onde estava, embora em 1939 tenha abandonado o Savoy pelo Dorchester. Ali, um novo bar estava sendo construído para ele, que seria o primeiro head bartender do hotel.

Lá também Craddock concretou um frasco de White Lady na parede, junto com um frasco de Manhattan e um de Martini. Estas cápsulas de tempo líquido foram encontradas muitas décadas mais tarde. Craddock aposentou-se do Dorchester em 1947, aos 74 anos.

Harry Craddock em poucas linhas

- Nascido em 1875 em Stroud, Gloucestershire, Inglaterra.
- 1897 chega nos EUA, onde em 1901-1911 trabalha em uma sucessão de bares de hotéis em Nova York e Chicago
- Torna-se um cidadão dos EUA em setembro de 1916 e é alistado em 1918, no final da Primeira Guerra Mundial
- Em 1920 ele perde o emprego com a chegada da Lei Seca. Volta para Inglaterra e trabalha em Liverpool, Bristol e Londres, onde começa no Savoy.
- Em 1926, a gerência do hotel quer um norte-americano no leme do American Bar. Craddock tinha adquirido um sotaque americano e se encaixava no papel. Ada Coleman se aposenta do bar e vai trabalhar na floricultura do hotel. O Savoy torna-se conhecido como o "49o. estado", devido ao número de americanos que atrai
- Em 1928, Harry acrescenta a receita número 2.000 à sua biblioteca de coquetéis, agora na posse de Peter Dorelli. Em 1930, a gerência do hotel pediu a Harry para compilar o Savoy Cocktail Book. Harry nunca ganhou nem um centavo.
- Em 1934, Harry co-fundou o UKBG com William J Tarling.
- Ele desenvolve sua própria receita para Martini, que Eric Lorincz encontrou nas adegas do Savoy (imagem mostrada). O rótulo contém uma ilustração de Harry e contém um anúncio para as 1.000 receitas do Savoy Cocktail Book
- Torna-se famoso por concretar frascos de coquetéis e coqueteleiras nas paredes
- Em 1938, Harry se muda para o hotel Dorchester, servindo Eisenhower (o Dorchester era o quartel-general norte-americano durante a Segunda Guerra Mundial).
- Em 1947, ele se retira para Kensington e morre em 1963, enterrado em uma cova comum.

ency 91 image

As receitas de Harry

Alaska #1 (Savoy Recipe)
Em seu livro de 1930 'The Savoy Cocktail Book', Harry Craddock escreve, "até onde pode ser verificado, esta poção deliciosa não é a dieta básica do Esquimaux. Foi provavelmente primeiro pensamento em Carolina do Sul - daí o seu nome."
Angel Face
Applejack Rabbit Cocktail
The Atty Cocktail
Bacardi Special
O Savoy Cocktail Book traz a seguinte anotação a esta adaptação do drink vintage "cocktail de Bacardi": "feito famoso por Karl K. Cozinha, o conhecido colunista de jornal de Nova York Newspaper."
Balm Cocktail
Bamboo #2
Barney Barnato Cocktail
Bentley
Bobby Burns #1 (Craddock's Version)
Craddock escreve sobre este drink: "Um dos melhores coquetéis de whisky, vende muito rápido no Dia de Santo André".
Bombay No. 2
Calvados Cocktail
Cameron's Kick
Caruso Martini
Casino #1
Chrysanthemum
Claridge Cocktail
Classic Cocktail
Club Cocktail #2
Coronation Cocktail No.1
Corpse Reviver No.2 #1 (Savoy Recipe)
"4 desses em seguida irão matar te matar novamente", diz Harry.
Dandy Cocktail
Diplomat
Diki-Diki
Elk Martini
Empire Cocktail
Every-Body's Irish Cocktai
Fair & Warmer Cocktail
Fairbanks Cocktail No.1
Fifty-Fifty Dry Martini #8 (1:1 ratio)
Frank Sullivan Cocktail
Froth Blower Cocktail
Froupe Cocktail
Glad Eye Cocktail
Gloom Chaser Cocktail #1
Gloom Chaser Cocktail #2
Green Dragon
The Holland House #2 (Craddock's London dry based)
Honolulu Cocktail No.1
Houla Houla Cocktail
Honolulu Cocktail No.2
Hop Toad #3
King Cole Cocktail
King's Jubilee
Leap Year Martini
O 'The Savoy Cocktail Book' diz sobre esta bebida: "Este coquetel foi criado por Harry Craddock, para a celebração do Ano Bissexto no Savoy Hotel, Londres, em 29 de fevereiro de 1928. Dizem ter sido responsável por mais pedidos de casamento do que qualquer outro coquetel que já foi misturado".
Leave It To Me Martini
London Cocktail
Lutkins Special Martini
Maiden's Blush
Maiden's Prayer
Marguerite Martini
Marmalade Cocktail
Harry escreveu sobre seu próprio drink: "Por seu gosto amargo e doce, este coquetel é especialmente adequado para ser um aperitivo no almoço".
Marny Cocktail
Martini Perfect
Mayfair Cocktail #1
Mint Cocktail
Oriental
Satan's Whiskers (Curled)
Savoy Special #1
Vanderbilt
Webster Martini
White Cargo
Yellow Parrot
Zaza

Primeiro nome:
Harry

Sobrenome:
Craddock

Falecimento:

Natural de:
Stroud

Em:
Londres

×
  • Bem-vindo (a)
  • Receba atualizações com muita informaçãosobre bebidas, bares ecoquetéis
  • Por favor, confirme que você tem mais de 18 anos e insira seu email
  • Não obrigado, continue para o diffordsguide.com
CSS revision 692131d