A história do Kir e do Kir Royale

  • A história do Kir e do Kir Royale image 1

Escrito por:

Algumas vezes chamado de Coquetel Kir, mais apropriadamente referido como Kir aperitivo ou simplesmente Kir, este é um drink de apenas dois ingredientes: licor creme de cassis e vinho branco Bourgogne Aligoté, servidos em um copo.

O segredo para um bom Kir é a proporção de creme de cassis para o vinho branco. Veja nossa receita de Kir.

Dizem que as origens do Kir remontam a 1904, quando um garçon chamado Faivre teve a ideia de misturar vinho branco com creme de cassis no Café George, 42 Rue de Montchapet, na esquina da Rue de Constantine, Dijon, França (atualmente chamado Café Le Montchapet, veja a foto).

ency 62 image

O novo drink de Faivre era chamado "Cassis Blanc", mas ficou mais conhecido como "Kir", devido à promoção feita por um político folclórico e herói da resistência da Segunda Guerra Mundial, chamado Canon Félix Kir. Durante seu mandato como Prefeito da cidade francesa de Dijon, ele procurou promover produtos regionais em funções oficiais. Cannon popularizou a mistura de creme de cassis, produzido localmente, com vinho branco Bourgogne Aligoté. Rapidamente o drink ficou conhecido como o aperitivo de Canon Kir, pai do Kir e finalmente apenas como Kir.

Félix Kir viveu intensamente. Ele era um padre católico no início da Segunda Guerra Mundial, mas se tornou um soldado da resistência francesa contra a ocupação alemã, o que lhe rendeu a ganhando-lhe a Cruz de Honra. Em 1945, tornou-se membro do Parlamento francês como deputado e prefeito de Dijon, onde foi reeleito quatro vezes, até sua morte (com 92 anos), em 1968.

ency 80 image

Prefeitura de Dijon, onde Canon Kir realizava cerimônias oficiais

Bourgogne Aligoté é um vinho branco de Appellation d'origine contrôlée (AOC) produzido da uva Aligoté, variedade da região da Borgonha. Ele costuma ser leve e de estilo ácido, normalmente sem envelhecimento. A apelação permite até 15% de Chardonnay misturado ao Bourgogne Aligoté, por isso nossa sugestão é usar um Chardonnay não envelhecido, caso não disponha do Bourgogne Aligoté. Entretanto, o Chardonnay não costuma ter a mesma acidez característica do Bourgogne Aligoté, que faz um equilíbrio prefeito com o creme de cassis.

Champagne e outros vinhos espumantes são misturados com creme de cassis para fazer um Kir Royal. Vale ressaltar que dependendo da marca, o champanha Brut também não possui a acidez necessária para equilibrar o licor de cassis, por isso considerer usar um champanhe brut nature ou ultra brut.

Em 1951, quando o Kir começou a ficar bem conhecido, Roger Damidot, então dono da Lejay-Lagoute, marca de creme de cassis e o maior produtor de licor da região, pediu ao prefeito a autorização para usar seu nome (Kir) comercialmente.

Provavelmente lisonjeado, o prefeito concordou e, em 20 de novembro de 1951, em papel timbrado da Assembléia Nacional Francesa, escreveu: "Canon Félix Kir, Membro do Parlamento e Prefeito de Dijon, concede exclusivamente à casa Lejay-Lagoute, atualmente representada por Roger Damidot, o direito de usar o seu nome para fins de publicidade de licor de groselha, na forma que entender necessário e notavelmente conhecido como "vin blanc cassis. Armado com esta carta, Lejay-Lagoute patenteou a marca Kir em março de 1952.

Anos mais tarde, depois de ver a crescente popularidade do kir como um aperitivo, Canon procurou oferecer a outros fabricantes de cassis o mesmo privilégio, mas, devido a Lejay-Lagoute já ter registrado a marca Kir, era tarde demais. Numerosos processos judiciais se seguiram, levando o caso ao mais alto tribunal francês, Cour de Cassation, que em 27 de outubro de 1992 confirmou Lejay-Lagoute como tendo direitos exclusivos para a marca Kir.

Logo após vitória na mais alta Corte, Lejay-Lagoute registrou Kir Royal e hoje produz um Kir pré-pronto em pacote e uma mistura engarrafada de cassis e vinho espumante chamada Kir Royal".

Quando feito com crémant, cava ou qualquer outro vinho espumante que não seja champanhe, o drink é chamado de "kir pétillant" ( kir gasoso). Há muita soutras variações do clássico Kir, como por exemplo:

Cidre Royal - feito com sidra no lugar do vinho e uma parte de calvados.

Communard/Cardinal - vinho tinto no lugar do branco.

Hibiscus Royal - vinho espumante, licor pêssego e de framboesa, com flor de hibisco como decoração.

Kir Berrichon - homenagem a Berrichon, dialeto francês falado na províncida de Berry, feito com vinho tinto e crème de mûre, no lugar do de cassis.

Kir Bière ou Tarantino - cerveja lager ou light ale no lugar do vinho.

Kir Breton - homenagem a Breton, língua Celta falada na Bretanha francesa, onde é feita a sidra Breton. A sidra substitui o vinho.

Kir Impérial - com creme de framboesa e licor de framboesa, como o Chambord, no lugar do cassis, e champanha no lugar do vinho branco.

Kir Normand - feito na Normandia, com sidra no lugar do vinho.

Kir Pamplemousse - com licor de grapefruit e vinho branco espumante.

Kir Pîche - com licor de pêssego no lugar do de cassis.

Kir Pétillant - com vinho espumante.

Kir Royal Cocktail - com champanhe.

Pink Russian - com leite no lugar do vinho.

×
  • Bem-vindo (a)
  • Receba atualizações com muita informaçãosobre bebidas, bares ecoquetéis
  • Por favor, confirme que você tem mais de 18 anos e insira seu email
  • Não obrigado, continue para o diffordsguide.com
CSS revision 692131d