Previsões e tendências para 2020 e além

Escrito por Simon Difford

Previsões e tendências para 2020 e além image 1

2019 foi o ano do Gin, Porn Star Martinis, Espresso Martinis e refrigerantes super caros mascarados de destilados. Mas quais tendências irão emergir em 2020 e na próxima década?

A atual mania do gin dominou nossos feeds de mídia, apenas interrompidos por delírios que tentam convencer-nos de que as alternativas do gin sem álcool, mas que custam o mesmo, têm um gosto bom quando misturadas com tônica (ou cada vez mais refrigerantes).

O crescimento gradual pode ser, e geralmente é, sustentável. Ostensivamente, o boom do gin não é sustentável e entrará em colapso. Indiscutivelmente, isso já acontece com as vendas de muitas marcas de gin agora sustentadas apenas por versões aromatizadas (produtos que se aproximam de ser gin).

Felizmente, o futuro das destilarias de gin recém-criadas parece mais seguro devido aos destilados botânicos. Isso, juntamente com algumas das outras tendências abaixo, estava nas minhas previsões para 2019 e, embora seja mais lento do que eu previa, continua sendo a primeira das minhas 12 previsões de tendências para 2020 e além.

1. Destilados botânicos

As pessoas já estão prevendo que o gin irá desaparecer mais rápido do que você possa dizer “alcopop” para dar lugar ao uísque, seja ele dos EUA, Reino Unido, Irlanda, Japão e vários outros países.

Muitos bebedores recentes de gin, os tipos que nos anos anteriores eram bebedores declarados de vodka, na verdade não gostam do gosto de zimbro. Assim, por padrão, eles não gostam de gin, mas bebem gin porque percebem que está na moda. Daí a ascensão do gin rosa, dos gins aromatizados e, em geral, do que eu chamo de “virgins” (nota da tradução: trocadilhos com virgens em inglês), porque estão prestes a ser um gin.

Eis que surgem os destilados botânicos , feitos da mesma maneira que o gin (re-destilando o destilado neutro com plantas), mas sem o zimbro. É claro que não são os destiladores de gin que estão liderando essa inovação empolgante dos destilados, mas produtores de vodka, como o Square One (um pouco à frente seu tempo) e a Ketel One, cujo lançamento em um estado dos EUA no verão de 2018 foi tão bem sucedido , que o um novo lote teve que vir rapidamente da Holanda para suprir a demanda.

Os destilados botânicos oferecem toda a complexidade do gin, mas sem a restrição de ter o zimbro como um sabor predominante. Indiscutivelmente, gin é apenas uma vodka com sabor e vodkas com sabor estão prestes a reencarnar como destilados botânicos. Esta é a categoria de destilado que eu prevejo impulsionará as vendas em 2020 e além.

2. Destilados sem álcool (os "Fantasmas")

Bebidas como Seedlip me incomodam porque se disfarçam de “destilados” e, ao mesmo tempo, são sem álcool. Por definição, um destilado é um líquido volátil. Líquidos que queimam quando inflamados são voláteis.

Parte do que me entusiasma sobre os destilados botânicos acima mencionados é que eles se apresentam honestamente ao público, com um nome de categoria que retrata o que eles são. Eu ficaria igualmente excitado com produtos não-alcoólicos se, em vez de destilado, eles se considerassem algo apropriado, talvez Fantasma (nota da tradução trocadilho em inglês entre spirit e phantom) ou refrigerantes.

Independente do nome, é uma categoria de bebidas que continuará a crescer durante 2020 e, com sorte, os novos participantes deixarão de se apresentar como destilados ou, pior ainda, “gins não-alcoólicos”. mas, sem dúvida, seus preços irão cair.

3. Baixo teor alcoólico

"Low and no" é um termo muito usado pelas pessoas que vendem os fantasmas acima, mas ainda mais dramático do que o aumento dos fantasmas é o das cervejas com baixo teor alcoólico. Essa tem sido uma tendência dominante nos últimos dois anos e agora praticamente todas as cervejarias "artesanais" produzem pelo menos uma.

O mesmo se aplica aos coquetéis - o LOW tem um sabor muito melhor que o NO. Portanto, espere ver as seções "coquetéis de mesa" aparecerem nos menus e talvez até mesmo bares que servem exclusivamente coquetéis sem álcool.

4. Clássicos Retrô

Coquetéis dos anos 70 e coquetéis dos anos 80 estão de volta! Na verdade, eles nunca saíram de moda. Sex On The Beach, por exemplo nunca desapareceu dos menus. Eles são divertidos e um anova geração de bebedores está descobrindo isso (nota da tradução: o Long island Ice Tea é um dos drinks da moda entre os mais jovens). E quem não gosta de um nome com duplo sentido? Vai um Porn Star Martini aí?

5. Qual será "O" coquetel de 2020

Deixando de lado o Amaretto Sour, Bramble, Negroni, Margarita (Tommy’s ou variações) e Espresso Martini, que já são destaque há algum tempo, qual será o próximo Porn Martini, o coquetel mais popular no Difford's Guide edição global durante anos?

Minhas apostas: o frutado French Martini, o instagramável Gin Basil Smash, e o Cantaritos

6. Mixers na torneira (draft)

Tudo começou com a Fever Tree e depois vieram empresas como London Essence e Three Cents. Hoje, com mixers premium que exigem cada vez mais prateleiras de supermercados e precioso espaço na geladeira, estamos chegando a um ponto não sustentável! Na verdade, não faz sentido essas misturas de concentrado com sabor, água e dióxido de carbono serem engarrafadas e enviadas para todo o mundo, quando os concentrados podem ser misturados com água filtrada e carbonatada no ponto de atendimento.

Os anos 20 verão o retorno das máquinas de refrigerante, distribuindo uma ampla variedade de tônicas e águas gaseificadas com sabor. Também prevejo o desaparecimento de refrigerantes engarrafados, à medida que as latas mais leves, menores e totalmente mais sustentáveis ​​assumam o controle.

7. Bitter & bitters

Os italianos e, em menor grau, os franceses, há muito apreciam licores agridoces, como bitters vermelhos italianos, amari e quinquinas. Aqui na Grã-Bretanha e nos EUA, temos cervejas amargas. Tudo isso se tornou global nos últimos anos, à medida que os paladares se moviam em direção a sabores mais amargos. Essa tendência amarga continuará crescendo nos anos 20, mas quais coquetéis se juntarão aos Aperol Spritz e Negronis da vida? Um Rabo de Galo talvez?

8. Coco

Nós somos aparentemente loucos por coco. Eu observei produtos de coco como iogurte sem lactose enchendo as prateleiras dos supermercados, enquanto nas competições de coquetéis que eu julguei recentemente, a água de coco parece ser o quê o suco de cranberry era para os bartenders nos anos 90. Até a Piña Colada, sucesso nos anos 70, está na moda novamente, às vezes em uma nova roupagem, como no Champagne Piña Colada. Coco deve ser um dos elementos de sabor em destaque durante 2020.

9. Dark spirits

Cuidado, Conhaque, a Califórnia está chegando! O brandy californiano já desfruta de grandes participações em seu mercado doméstico, mas até agora mal diminuiu as vendas de aguardentes francesas, espanholas e italianas na Europa e na Ásia. O Vale do Napa se tornará tão difundido em brandy quanto o Vale do Silício em tecnologia. O brandy californiano é mais leve e frutado, o que deverá usurpar espaço dos conhaques da velha guarda, atraindo assim bebedores mais jovens. Casas de conhaque com visão de futuro, como Camus já começaram a produzir conhaques mais frutados e aromáticos.

Muitos dizem que o rum é a próxima grande novidade, mas acho que isso beneficia principalmente os rum com sabor/especiarias.

Enquanto isso, as pessoas da Escócia e Kentucky rirão quando digo que o localismo ajudará a impulsionar as vendas. Mas, as muitas destilarias de butique que esperam o primeiro uísque chegar à maioridade, em breve serão recompensadas, à medida que as pessoas se esforçam para comprar bebidas locais.

O uísque também será ajudado pelo crescimento contínuo do Highball, especialmente devido à sua falta de açúcar, mas com um sabor agradável. A demanda de mercados emergentes, como Índia e China, também desempenhará seu papel na assurgência do uísque.

10. Cafeterias e serviço o dia inteiro

Há mais laptops e tablets nas mesas de sua cafeteria do que embalagens de açúcar. Cada vez mais pessoas trabalham em casa ou fora do escritório, mas não abrem mão de sua dependência por café. Por isso, trabalhamos em um café de tempos em tempos. O comércio da manhã e da tarde desfrutado por esses lugares tem sido perdido pela maioria dos pubs e bares. No entanto, cada vez mais, os operadores de bar estão maximizando os retornos sobre suas despesas gerais de propriedade, abrindo o dia todo com menus, iluminação e atmosfera que se transformam pela manhã, à tarde e à noite.

11. Hard seltzers & drinks prontos para beber (RTD)

Bebidas engarrafas, RTDs (drinks prontos para servir) e PPSs (bebidas premium embaladas) já são realidade. Agora o foco de atenção são as hard seltzers, basicamente bebidas alcoólicas em lata e não em garrafa. Também estamos vendo um aumento nos coquetéis prontos para servir, pela sua conveniência. No entanto, espere ver inovações em embalagens, como latas, nas quais toda a tampa se desprende e se transforma em um copo e hard seltzers apresentadas em embalagens mais atraentes, do que meros longos tubos brancos.

12. Coquetéis em casa

Seja se preparando para passar uma noite assistindo Netflix ou com amigos durante um jantar, beber em casa está crescendo mais rápido do que beber em bares. Enquanto os coquetéis também cresceram em popularidade, em casa eles ainda se esforçam para competir com a conveniência da cerveja, vinho e bebidas mistas mais simples. No entanto, o tráfego que desfrutamos neste site e a venda de coquetéis indica que isso está mudando. As pessoas acostumadas a lidar com receitas culinárias complicadas estão misturando três ou quatro ingredientes com gelo, para fazer um coquetel comparativamente rápido, simples e mais agradável. Eu prevejo um retorno do homebartender e o bar de coquetéis em casa, ao estilo que foi nos anos 70/80.

Feliz Ano Novo!