Previsões e tendências para 2019

  • Previsões e tendências para 2019 image 1

Escrito por:

Gin, Porn Star Martinis, Espresso Martinis, Negronis, canudinhos reutilizáveis ​​e refrigerantes ridiculamente caros disfarçados de destilados já são realidade. Mas, quais são as 10 grandes coisas que surgirão e crescerão em 2019?

Nas décadas passadas, novidades passavam lentamente por nossas vidas. Agora, elas voam, impulsionadas pelas mídias sociais e um desejo pelo que há de mais recente (o que quer que seja), e os pioneiros já estão em outra quando o mercado de massa ainda começa a perceber que tem algo ali.

Então, eu olho para trás com nostalgia da febre pela da vodka, uma mania que se desenrolou por pelo menos uma década, provavelmente várias décadas. A vodka premium tornou-se vodka super-premium com métodos de filtragem e embalagens cada vez mais elaboradas. Vodka com sabor veio em seguida. Mas, tudo ao seu tempo, aguardando sua vez na curva do marketing.

Agora, veja quanta rapidez que a atual febre do gin entrou em nossas vidas, através de social media e bares. Plymouth, um dos gins mais antigos do mundo, ainda não decidiu devidamente se sua embalagem deve ser moderna, art-deco ou vintage; enquanto isso, o gin sabor bolo de casamento está se aproximando no horizonte e as pessoas estão olhando para o uísque como a próxima grande novidade

1. Destilados botânicos

As pessoas já estão prevendo que o gin irá desaparecer mais rápido do que você possa dizer “alcopop” para dar lugar ao uísque, seja ele dos EUA, Reino Unido, Irlanda, Japão e vários outros países.

Considerando os estoques esgotados e os preços cada vez mais altos, você pode pensar que o uísque já explodiu. No entanto, enquanto a maioria das destilarias de luxo está vendendo seu gin para pessoas interessadas em apoiar produtores locais, muitos dos mesmos destiladores ainda esperam pacientemente pelo amadurecimento de seu uísque. Grande parte deste uísque está agora ficando pronto e novos bebedores de uísque serão recrutados pelas mesmas pessoas que atualmente vendem o gin local.

O uísque também será ajudado por drinks antigos, como whisky&soda, que estão tornando-se moda devido ao seu sabor, por ser servido longo e ter pouco açúcar. A demanda de mercados emergentes, como a Índia e a China, também desempenhará seu papel na crescimento do uísque, mas não será o uísque que prejudicará o gin.

Muitos bebedores recentes de gin, os tipos que nos anos anteriores eram bebedores declarados de vodca, na verdade não gostam do gosto de zimbro. Assim, por padrão, eles não gostam de gin, mas bebem gin porque percebem que está na moda. Daí a ascensão do gin rosa, dos gins aromatizados e, em geral, do que eu chamo de “virgins” (nota da tradução: trocadilhos com virgens em inglês), porque estão prestes a ser um gin.

Eis que surgem os destilados botânicos, feitos da mesma maneira que o gin (re-destilando o destilado neutro com plantas), mas sem o zimbro. É claro que não são os destiladores de gin que estão liderando essa inovação empolgante dos destilados, mas produtores de vodca, como o Square One (um pouco à frente seu tempo) e a Ketel One, cujo lançamento em um estado dos EUA no verão de 2018 foi tão bem sucedido , que o um novo lote teve que vir rapidamente da Holanda para suprir a demanda.

Os destilados botânicos oferecem toda a complexidade do gin, mas sem a restrição de ter
o zimbro como um sabor predominante. Indiscutivelmente, gin é apenas uma vodka com sabor e vodkas com sabor estão prestes a reencarnar como espíritos botânicos. Esta é a categoria de destilado que eu prevejo impulsionará as vendas em 2019/20 e além.

2. Destilados sem álcool (ou "Phantoms")

Bebidas como Seedlip me incomodam. Não porque eles são incrivelmente superfaturados pelo o quê são (as pessoas estão felizes em pagar) ou devido ao seu sabor (eu tomei alguns coquetéis com Seedlip saborosos), nem porque eles são não-alcoólicos (eu gosto de uma xícara de chá). Eles me incomodam porque se disfarçam de “destilados” e, ao mesmo tempo, são sem álcool. Por definição, um destilado é um líquido volátil. Líquidos que queimam quando inflamados são voláteis. Sopa de ervilha é mais volátil do que o Seedlip. Pelo menos sopa de ervilha pode causar gases voláteis.

Parte do que me entusiasma sobre os destilados botânicos acima mencionados é que eles se apresentam honestamente ao público, com um nome de categoria que retrata o que eles são. Eu ficaria igualmente excitado com produtos não-alcoólicos se, em vez de destilado, eles se considerassem algo apropriado, talvez fantasma (nota da tradução: o Phantom do título)? "Fantasma" sugere destilado e é definido como "algo aparente para sentir, mas sem existência substancial".

Independente do nome, é uma categoria de bebidas que continuará a crescer durante 2019 e, com sorte, os novos participantes deixarão de se apresentar como destilados ou, pior ainda, “gins não-alcoólicos”.

3. Clássicos Retrô

Coquetéis dos anos 70 e coquetéis dos anos 80 estão de volta! Na verdade, eles nunca saíram de moda. Sex On The Beach, por exemplo nunca desapareceu dos menus. Eles são divertidos e um anova geração de bebedores está descobrindo isso (nota da tradução: o Long island Ice Tea é um dos drinks da moda entre os mais jovens). E quem não gosta de um nome com duplo sentido? Vai um Porn Star Martini aí?

4. Os coquetéis mais vendidos em 2019

Dentre os coquetéis dos anos 70 e os coquetéis dos anos 80, o Screaming Orgasm e o Slow Comfortable Screw Against the Wall foram mais vistos no Difford’s Guide global nos últimos 4 meses de 2018 (nota da tradução: em breve divulgaremos os mais vistos no Brasil em 2018).

Deixando de lado o Amaretto Sour, Bramble, Negroni, Margarita (Tommy’s ou variações) e Espresso Martini, que já são destaque há algum tempo, os dois drinks acima e os cinco abaixo completam minha lista dos coquetéis a se prestar atenção em 2019:

Gin Basil Smash cuja cor verde é sempre um sucesso no Instagram e a forte presença de Joerg Meyer em social media, faz desse meu drink mais importante para 2019.
White Lady - um clássico que não para de crescer.
Penicillin - um dos mais importantes coquetéis com gengibre e ainda leva uísque.
Bernice - coquetel pioneiro nos anos 50 é delicioso e tem tudo pra renascer.
Corpse Reviver No.2 - a um favorito dos bartender, assim como era o Negroni!
Cantaritos - parecido com o Paloma.

5. Bares divertidos & Tiki

Eu gosto de um bar mal iluminado, com música suave e um murmúrio baixo da clientela, todos sentados e obscurecidos. Muito civilizado. Mas eu tenho 53 anos e pessoas como eu ainda vão a bares para beber. Outras buscam mais exuberância e diversão. Elas não querem passar a noite conversando sobre bitters ou hydrosol com um bartender resplandecente de paletó e gravata: elas querem ter uma noite divertida em um bar divertido. Bares como o Be At One e o London Cocktail Club são divertidos. De maneira surpreendente, as duas marcas estão se expandindo rapidamente.

Tiki oferece diversão e escapismo servidos na tigela de vulcão. Você não vai a um bar tiki apenas para beber, você vai lá para uma experiência, o tipo de experiência que envolveria as viagens aéreas para outra cultura. Tiki tem uma sub-cultura que prevejo que muito mais pessoas descobrirão e apreciarão nos próximos anos.

Tiki ou não, os bares que são divertidos continuarão a crescer em popularidade durante 2019, particularmente em grandes cidades ou centros urbanos.

6. Fermentação

A fermentação não é uma coisa nova, sem ela não teríamos álcool. Mas, além do fermento comer açúcar para produzir álcool, dióxido de carbono e calor, há o sabor e supostos benefícios para a saúde probiótica. Veja o kombucha, uma bebida não alcoólica feita por uma fermentação escura. Fermentação com uma cultura simbiótica de bactérias e leveduras (SCOBY) pode não ser algo que você está ciente, mas, até o final de 2019, você com certeza de terá experimentado o que ela produz.

7. Cervejas sem álcool ou com baixo teor alcoólico

“Low and no” é o termo em inglês que define a categoria dos "Fantasmas" (veja o item 2), mas ainda mais dramático que o surgimento de fantasmas é o surgimento de cervejas com baixo teor de álcool e não-alcoólicas. Esta tem sido uma tendência dominante nos últimos dois anos, mas o que é excitante é o emergente mercado de cervejas artesanais "low and no", como a Big Drop Brewing Co.. Elas podem não ter o corpo de uma "cerveja adequada", mas com o "dry hoping" substituindo a pegada de álcool, ir embora depois de tomar uma Rose & Crown é algo aceitável, agradável, seguro e legal. Cada cervejaria logo estará oferecendo cervejas de baixo teor alcoólico e não-alcoólicas e cada bar decente deverá ter uma seleção à disposição

8. Coco

Nós somos aparentemente loucos por coco. Eu observei produtos de coco como iogurte sem lactose enchendo as prateleiras dos supermercados, enquanto nas competições de coquetéis que eu julguei recentemente, a água de coco parece ser o quê o suco de cranberry era para os bartenders nos anos 90. Até a Piña Colada, sucesso nos anos 70, está na moda novamente, às vezes em uma nova roupagem, como no Champagne Piña Colada. Coco deve ser um dos elementos de sabor em destaque durante 2019.

9. Cafeterias e serviço o dia inteiro

Há mais laptops e tablets nas mesas de sua cafeteria do que embalagens de açúcar. Cada vez mais pessoas trabalham em casa ou fora do escritório, mas não abrem mão de sua dependência por café. Por isso, trabalhamos em um café de tempos em tempos. O comércio da manhã e da tarde desfrutado por esses lugares tem sido perdido pela maioria dos pubs e bares. No entanto, cada vez mais, os operadores de bar estão maximizando os retornos sobre suas despesas gerais de propriedade, abrindo o dia todo com menus, iluminação e atmosfera que se transformam pela manhã, à tarde e à noite. Servir chá da tarde deve tornar-se algo comum em pubs e bares ingleses.

10. Coquetéis em casa

Seja se preparando para passar uma noite assistindo Netflix ou com amigos durante um jantar, beber em casa está crescendo mais rápido do que beber em bares. Enquanto os coquetéis também cresceram em popularidade, em casa eles ainda se esforçam para competir com a conveniência da cerveja, vinho e bebidas mistas mais simples. No entanto, o tráfego que desfrutamos neste site e a venda de coquetéis indica que isso está mudando. As pessoas acostumadas a lidar com receitas culinárias complicadas estão misturando três ou quatro ingredientes com gelo, para fazer um coquetel comparativamente rápido, simples e mais agradável. Eu prevejo um retorno ao homebartender e o bar de coquetéis em casa, ao estilo que foi nos anos 70/80 (veja acima).

Considerações finais

A sustentabilidade não é mais uma tendência, chegou para ficar. Um vídeo perturbador de uma tartaruga marinha com um canudo de plástico preso no nariz ajudou a acabar com os canudos de plástico nos bares, mas a erradicação, ou pelo menos a redução dos plásticos de uso único, ainda tem um caminho a percorrer. Se você usa cápsulas da Nespresso, você os recicla, por exemplo?

Até agora, os donos de bares e operadores têm demorado a prestar atenção no seu consumo de energia: hoje em dia, bartenders começam o turno mais cedo, para fazer o trabalho de reutilizar o que seria desperdício e isso gerou aumento no consumo de energia. Enquanto sento aqui ouvindo o zumbido da geladeira em meu próprio bar, prevejo uma mudança para máquinas mais econômicas e torço para uma visão mais ampla do que é ser sustentável.

Por fim, vejo mudanças na estratégia de marketing da indústria de bebidas.

Antes das mídias sociais, os profissionais de marketing e o valor de seus gastos promocionais eram medidos por vendas de garrafas (seja 8,4 ou 9 litros). Agora, as curtidas nos canais de mídia social parecem tão importantes como quanto um produto realmente vende. "Likes", visualizações, deslizar, curtidas passaram a ser considerado métricas de performance. É algo sem sentido, se de fato tais interações passageiras possam ser classificadas realmente como engajamento. No entanto, de vez em quando uma marca recebe um grande impulso nas vendas graças a sua mídia social e isso continua alimentar a corrida pelo ouro dos "influenciadores".

Minha previsão é que mais profissionais de marketing irão buscar engajamento de marca mais profundo e significativo do que meros likes. Menos é mais. Menos alcance, mas engajamento mais significativo. É melhor conversar com 200 pessoas que acabam comprando seu produto, do que com 200 mil pessoas que nem sabem o que você está tentando vender.

De qualquer forma, espero que você goste desta página. Feliz Ano Novo!

×
  • Bem-vindo (a)
  • Receba atualizações com muita informaçãosobre bebidas, bares ecoquetéis
  • Por favor, confirme que você tem mais de 18 anos e insira seu email
  • Não obrigado, continue para o diffordsguide.com
CSS revision 7a63ce8