A história do Bamboo, suas receitas e pseudônimos.

  • A história do Bamboo, suas receitas e pseudônimos. image 1

Escrito por:
Photography by: Dan Malpass

Indiscutivelmente o mais conhecido de todos os coquetéis clássicos de jerez, o Bamboo também é notável devido à sua falta de destilado de base, pois é simplesmente uma mistura de jerez e vermute, às vezes também com traços de bitters. É um delicioso coquetel, mas, como tantos clássicos, existem inúmeras receitas e histórias conflitantes quanto à sua origem.

ency 89 image

Receitas

A criação do coquetel Bamboo pode ter sido inspirado pelo Adonis, que também é baseado em jerez, mais vermute e bitters. O Adonis é feito com vermute doce (italiano), enquanto o Bamboo leva normalmente vermute francês seco, apesar de também poder ser feito com o doce ou em uma combinação dos dois.

Várias receitas de Bamboo brincam com o equilíbrio entre o jerez e o vermute. Algumas usam vermute doce para equilibrar o jerez seco, enquanto outras usam um traço de xarope de açúcar ou licor. Outras são apenas secas.

Bamboo Cocktail (Stuart em 1904 ) com 2 partes de jerez fino para 1 de vermute doce.
Bamboo Cocktail (Savoy em 1930) com 1½ partes jerez fino, ¾ vermute seco e ¾ vermute doce.
Bamboo Cocktail (Joaquín Simó's) com partes iguais de jerez fino e vermute seco, adoçado com um toque de xarope de açúcar.
Bamboo Cocktail (receita Difford's Perfect) com 1½ partes jerez fino, 1 vermute doce e ¾ vermute seco.
Bamboo Cocktail (com Jerez Palo Cortado) com 2 partes Palo Cortado para 1 vermute seco.
Bamboo Cocktail (com triple-sec) com partes iguais de jerez fino e vermute seco, mais um toque de licor triple sec.

História

Alguns dizem que o nome vem da música de Bob Cole, grande sucesso em 1902, chamada Under the Bamboo Tree. Mas o drink já existia há mais de uma década e pode, na verdade ter ocorrido o inverso: a popularidade do coquetel, que por volta de 1900 era presença constante em menus de coquetel e amplamente vendido em versão engarrafada, que inspirou a música.

Em seu livro de 1908, The World's Drinks And How To Mix Them, William Boothby, um celebrado bartender à época, credita o drink a Louis Eppinger, do Grand Hotel, em Yokohama, Japão (o hotel foi rebatizado de New Grand em 1913).

ency 73 image

The World's Drinks And How To Mix Them,
de 1908

Louis Eppinger, um aclamado bartender alemão que havia trabalhado em San Francisco, chegou ao Japão em 1889 para gerenciar o bar do Grand Hotel após um convite de investidores dos EUA que estavam interessados no hotel. Eles meio que importaram a cultura de coquetéis dos EUA para o Japão. Eppinger trabalhou no Grand Hotel até sua morte em 1907.

ency 43 image

The Grand Hotel, Yokohama, Japão

Por causa da referência no livro de 1908 de Boothby, historiadores da coquetelaria assumiram que Eppinger criou o Bamboo Cocktail no final da década de 1890, logo após chegar ao Japão.

Mas, assim como muitos outros coquetéis clássicos e vintage, a história comumente aceita (no caso a que credita a criação a Eppinger com base no livro de 1908 de Boothby) aparentemente parece não ser correta e estamos em débito com EverythingInTheBar por apresentar a evidência que contradiz essa história.

Quando o Bamboo foi criado?
A primeira referência ao Bamboo na verdade data de 1886 - 3 anos antes de Eppinger chegar ao Japão. E, na verdade, Boothby não afirma que Eppinger criou o drink enquanto estava em Yokohama, mas apenas cita o local onde o bartender trabalhava na época em que o livro foi escrito: "Originated and named by Mr. Louis Eppinger, Yokohama, Japan". Eppinger poderia tê-lo criado e é quase certo que fez seu primeiro Bamboo quando ainda trabalhava em San Francisco, em meados da década de 1880 e talvez ainda antes disso.

...e por quem?
A primeira citação conhecida data de 11/09/1886 e cita um inglês, o que elima Eppinger, que era alemão.

"Um drink novo e insidioso foi introduzido por algum inglês e está tornando-se popular em salões de bar de Nova York. É composto por três partes e uma parte de jerez vermute e é chamado Bamboo" (sic)
Western Kansas World, 11/09/1886

Apenas 8 dias depois, outro jornal credita a um inglês a criação do Bamboo.

"Um dos drinks mais recentes e mais insidiosos foi introduzido recentemente em salões desta cidade por um inglês. Consiste em três partes, uma parte de vermute e xerez. É chamado de "Bamboo", provavelmente porque depois de beber, o bebedor se sente capaz de 'levantar Caim'." (sic)
St. Paul Daily Globe 19/09/1886

O Bamboo também aparece na reedição de 1904 do livro escrito por Thomas Stuart em 1896, Stuart's Fancy Drinks and How to mix them. Ele está na parte final, em uma seção chamada "New and Up-To-Date Drinks". Infelizmente o livro não traz crédito ao criador.

ency 97 image

1904, Stuart's Fancy Drinks and How to mix them

Nomes alternativos

A origem do Bamboo fica mais nebulosa pelas receitas com os mesmos ingredientes ou similares, que aparecem com diferentes nomes em diversas publicações. Em seu Imbibe!, David Wondrich cita o "Boston Bamboo" como um provável antecessor.

Na edição de 28/07/1889 do Pittsburg Dispatch há uma menção ao Sea Cocktail, dizendo "muitos homens gostam daqui e pedem por um "sea cocktail", uma criação extravagante minha composta de jerez, vermute e orange bitters, com uma colher de gelo raspado."

Outros pseudônimos apareceram mais tarde:
Reform Cocktail, em Cocktails - How to Mix Them, em 1922, por Robert Vermiere.
Reform Cocktail, em The Savoy Cocktail Book, 1930 por Harry Craddock.
Amour Cocktail, em Bartender's Guide, em 1947, por Trader Vic.
Amour Cocktail, em The Fine Art of Mixing Cocktails, 1948, por David Embury.

×
  • Bem-vindo (a)
  • Receba atualizações com muita informaçãosobre bebidas, bares ecoquetéis
  • Por favor, confirme que você tem mais de 18 anos e insira seu email
  • Não obrigado, continue para o diffordsguide.com
CSS revision 42f8d9b